Dicas de Como Tratar a Glândula Adanal

Glândula Adanal – o que é, sintomas, tratamento

A glândula adanal ou também conhecida como glândula anal tem como principal função carregar uma certa substância muito particular do seu cão e que o identifica no meio dos outros.

Muita gente nunca ouviu falar dela ou só sabe que ela existe quando algum problema acontece, situação até bem comum no mundo dos cães.

Em geral ela apresenta alguma disfunção nas raças pequenas, mas o problema também pode atingir raças de médio e grande porte.

Saiba mais sobre essa glândula e os problemas que ela pode causar.

O que são as glândulas adanais?

Elas são conhecidas como adanais, anais ou até mesmo como sacos anais e, tecnicamente, não são realmente glândulas.

Elas são dois pequenos depósitos localizados ao lado do reto, entre os músculos do esfíncter anal interno e externo, um de cada lado do ânus.

O saco anal costuma esvaziar-se através de um duto curto e estreito, localizado na borda interna do ânus.

Eles são cheios de um líquido oleoso produzido por glândulas sebáceas e apócrinas e que possuem um odor bem forte e fétido.

O líquido é escuro, de cor castanha e sua função basicamente é espalhar o odor do cão por onde ele passa e isso faz com que os cachorros consigam identificar uns aos outros.

Agora você entende por que os cães levantam a cauda e cheiram os traseiros uns dos outros quando se encontram.

O odor produzido pelas glândulas anais é único em cada cão, assim como uma impressão digital humana.

Além disso, o líquido que está dentro dos sacos anais também tem como função lubrificar as fezes.

Essas glândulas foram projetadas para esvaziar a sua secreção juntamente com o movimentos intestinais do animal.

Quando estimuladas, elas se contraem pelo estiramento do músculo do esfíncter anal no momento em que as fezes passam por ali.

Clique Aqui e veja como ter um cão super saudável

Quais os problemas que podem acontecer com elas?

Quando os cães sentem medo, ansiedade ou até mesmo felicidade eles liberam essa secreção e isso é super normal.

Mas em alguns casos, o cão produz uma secreção muito grossa, semissólida e são incapazes de passar esse material espesso pelo duto estreito e excretar a substância como normalmente faria.

Outro problema comum é quando o canal para esvaziamento do saco anal fica obstruído, a secreção se acumula e a glândula incha causando dor e uma erupção na superfície da pele do cachorro.

Essa inflamação na glândula adanal se transforma em um grande transtorno na vida do cão, pois em alguns casos é preciso entrar com medicação anti-inflamatória para combater o problema.

E o pior é que é difícil notar o problema e evitar chegar ao ponto de inflamação, os donos dos cães só percebem que o seu amigo está com algum problema quando ele apresenta algum dos sintomas abaixo:

  • O cão morde a base da cauda
  • O cão tem dificuldades para defecar
  • O cão lambe a região anal com frequência
  • O cão muda de comportamento, chora, fica incomodado e desconfiado
  • O cão arrasta o bumbum no chão
  • O aparecimento de um inchaço ou vermelhidão na região anal do cão

Quais são as possíveis causas da inflamação?

O acúmulo de líquido nos sacos anais pode acontecer por diversos fatores que variam de questões ambientais a problemas de saúde e até mesmo a má localização das próprias glândulas.

Animais obesos ou idosos podem perder a força dos músculos da região anal e que exercem a pressão necessária sobre as glândulas para que elas esvaziem de maneira natural.

Outra situação é quando o animal está com fezes moles e que também não exercem a pressão necessária para o esvaziamento das glândulas.

Os cães de pequeno porte costumam ser os mais atingidos pelo problema, pois é mais comum nessas raças que as glândulas estejam mal posicionadas no corpo do animal, localizadas mias no interior do ânus.

Assim a pressão das fezes ao serem excretadas não é suficiente para esvaziar o líquido e ele se acumula causando dor e inchaço.

O que fazer quando a glândula adanal inflama?

O primeiro passo quando se identifica que o cão está com alguns dos sintomas acima é leva-lo a um veterinário para ser examinado.

Só o médico especialista vai conseguir se certificar se a região está somente inflamada ou se o problema avançou para a formação de abcessos e infecção.

O veterinário vai manusear os sacos anais, esvaziá-los manualmente e, se for necessário, prescrever algum medicamento de alívio para o cão.

Clique Aqui e descubra o Por que Você deve para de dar Ração Para o seu Cachorro HOJE Mesmo!

Se o caso for mais grave e os sacos estiverem cheios pus, o médico vai drenar esse líquido, limpar os sacos anais e iniciar um tratamento com antissépticos e antibióticos.

Você mesmo pode apertar e esvaziar as glândulas anais?

Não recomendamos. Em alguns casos, quando o problema se torna frequente, o veterinário ensina a técnica para que o dono do cão possa fazer o esvaziamento dos sacos anais de 15 em 15 dias.

Mas, nesse caso, acaba sendo um tratamento paliativo.

Se o cão apresenta o problema com frequência, o ideal é avaliar junto com o médico veterinário se não seria melhor remover as glândulas cirurgicamente.

Muitos pet shops têm o hábito de esvaziar essa glândula durante o processo de banho e tosa dos cães, prática que não é recomendada, pois a glândula fica habituada ao procedimento manual e para de funcionar devidamente ocasionando infecções no animal.

Se você tem o hábito de levar seu cãozinho para tomar banho nesse tipo de estabelecimento, certifique-se de que eles não fazem o procedimento de esvaziar as glândulas adanais, pois o ideal é que isso só seja feito por um profissional capacitado.

Reforçamos mais uma vez: esse é um procedimento que não deve ser feito se o seu cão não tem realmente nenhum problema com os sacos anais, afinal não faz sentido criar um problema futuro para ele só por uma questão estética, não é verdade?

O processo de esvaziamento dos sacos anais é um trabalho desagradável para todos os envolvidos, pois pode ser muito doloroso para o cão e o cheiro que o líquido exala é bem desagradável

Como prevenir o problema?

Como dissemos anteriormente, a inflamação das glândulas adanais é um problema difícil de ser detectado a ponto de evitar que ele se agrave.

Por isso, o ideal é trabalhar na prevenção do problema.

Ofereça ao seu cão uma dieta balanceada e rica em fibras que ajudarão no bom funcionamento intestinal do animal.

Fezes mais firmes ajudam no esvaziamento dos sacos anais naturalmente, pois exercem a pressão necessária para que o duto se abra.

Pense na possibilidade de alimentar o seu cão com uma dieta natural e não mais com a ração seca industrializada.

Muitos cães apresentam problemas gastrointestinais decorrentes da falta de fibras do alimento industrializado.

A chave para corrigir a disfunção é que o animal estimule corretamente as glândulas a ponto de deixa-las totalmente vazias de maneira natural, durante o ato de evacuar.

Sem massa fecal correta, o músculo do esfíncter não é trabalhado e as glândulas não são esvaziadas.

Como você pode verificar no artigo de hoje, as glândulas adanais podem trazer problemas sérios ao seu cão e a prevenção é muito simples, basta oferecer uma alimentação rica em fibras.

Insira aveia, grãos integrais e legumes variados na dieta do seu cão e dificilmente ele vai ter problemas para esvaziar o saco anal.

Dicas de Como Tratar a Glândula Adanal
4.1 (81.12%) 89 votes